TRF2 realiza mutirão de atendimentos à população vulnerável da capital fluminense

    Começou nesta quarta-feira (03/08) o mutirão “Pop Rua Jud” na cidade do Rio de Janeiro. O evento que segue até a próxima sexta-feira (5) é coordenado pelo Tribunal Regional Federal da 2ª Região, por meio do seu Núcleo Permanente de Solução de Conflitos, e tem como objetivo a prática de diretrizes da Política Nacional Judicial de Atenção a Pessoas em Situação de Rua, instituída pela Resolução 425/2021 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

    Durante os três dias, as pessoas em situação de rua interessadas poderão buscar serviços de assistência básica, tais como banho, alimentação, assistência médica e odontológica, orientação e apoio psicológico, obtenção de documentos e acesso às prestações administrativas e/ou jurídicas cabíveis em cada caso concreto, na Catedral Metropolitana do Rio de Janeiro.

    A Justiça Federal marca presença com o caminhão da “Justiça Itinerante”, no qual funciona um mini fórum para apreciação dos pedidos de sua competência. Neste primeiro dia de ação estiveram presentes o vice-presidente do TRF2, Guilherme Calmon, os Juízes Federais coordenadores da iniciativa, José Arthur Diniz e Ana Carolina Vieira de Carvalho, e os Juízes Federais voluntários, Valeria Caldi, Cristiane Conde Chmatalik, Ana Cristina Ferreira de Miranda, Frederico Montedonio, Mônica do Nascimento e Giovana Calmon.

    Tags:
    Dúvidas, sugestões ou mais informações?

    Fale Conosco

    Dúvidas, sugestões ou mais informações? Entre em contato com a Ajufe. Queremos melhorar cada vez mais a qualidade dos serviços prestados.

    Os campos com asterísco (*) são de preenchimento obrigatório.
    4 + 3 = ?

    Ajufe.org

    A Ajufe utiliza cookies com funções técnicas específicas.

    Nós armazenamos, temporariamente, dados para melhorar a sua experiência de navegação. Nenhuma informação pessoal é armazenada ou capturada de forma definitiva pela Ajufe. Você pode decidir se deseja permitir os cookies ou não, mas é necessário frisar que ao rejeitá-los, o visitante poderá não conseguir utilizar todas as funcionalidades do Portal Ajufe. Enfatiza-se, ainda, que em nenhum momento cria-se qualquer tipo de identificador individual dos usuários do site. Para demandas relacionadas a Tratamento de Dados pela Ajufe, entre em contato com privacidade@ajufe.org.br.