CNJ divulga comparativo entre Justiça Federal e Estadual sobre ações previdenciárias

     

    O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) apresentou, nesta quarta-feira (5), estudo sobre a distribuição de processos previdenciários entre a Justiça Federal e Estadual, elaborado pelo Departamento de Pesquisas Judiciárias do CNJ.

    O estudo revela que, atualmente, há cerca de seis vezes mais processos previdenciários tramitando no âmbito da Justiça Federal do que na Justiça Estadual. A transferência de ações (Lei 13.876/19 – Competência Delegada) afeta principalmente as regiões que possuem uma interiorização da Justiça Federal, como os três estados da Região Sul; Rio de Janeiro; São Paulo; Alagoas; Sergipe; e Paraíba.

    A Ajufe defende que o acervo permaneça na Justiça Estadual para evitar o acúmulo de processos no âmbito Federal. Portanto, para que não haja prejuízo ao jurisdicionado, apenas as ações ajuizadas a partir de janeiro de 2020 que deveriam ter sua competência delegada à Justiça Federal, caso necessário.

    A Ajufe ainda reforça que esses processos previdenciários sigam para a Justiça Federal de forma natural, em razão da via recursal, a fim de evitar milhares de processos parados enquanto o Superior Tribunal de Justiça (STJ) não decidir o conflito de competência. É essa também a recomendação do CNJ.

    DADOS Justiça Estadual: tramitam atualmente 1.103.500 de processos previdenciários; Justiça Federal: tramitam atualmente 6.736.012 de processos.

    Acesse o Relatório sobre a Competência Delegada: http://bit.ly/2SjUzgt

    Tags:
    Dúvidas, sugestões ou mais informações?

    Fale Conosco

    Dúvidas, sugestões ou mais informações? Entre em contato com a Ajufe. Queremos melhorar cada vez mais a qualidade dos serviços prestados.

    Os campos com asterísco (*) são de preenchimento obrigatório.
    4 + 3 = ?
    © Ajufe - Associação dos Juízes Federais do Brasil - Todos os direitos reservados.

    Ajufe.org